Modelo de O.S.

BAIXAR

Maneiras de realizar manutenção industrial

Maneiras de realizar manutenção industrial

Nem todas as prestadoras estão adequadas para oferecer o serviço de manutenção industrial. O que será que é necessário para entrar nesse mercado e garantir o pleno funcionamento de empresas que atuam em escala industrial? Se você como gestor tem interesse em agregar mais esse formato no seu modelo de negócio. Caso já ofereça esse tipo de manutenção, te propormos a continuar aqui para ampliar essa atividade e promover mais produtividade para a sua equipe externa.

Muito se fala sobre manutenção no blog da Field. Por aqui, somos apaixonados pela prestação de serviços e por isso sempre abordamos temas que possam dar um upgrade na sua gestão. Se quiser fazer uma revisão antes de seguir com esse novo tema, é só dar um clique: manutenção.

 

Foca aqui agora: o setor industrial é um mercado e tanto. A participação na economia brasileira chegou a 22% entre 2017 e 2018, sendo o setor que mais produz riquezas no Brasil, segundo a Confederação Nacional de Indústria (CNI). E o que você acha de fazer parte desse setor gigante?

 

O que é manutenção industrial?

Implica  em corrigir falhas de equipamentos de produção de média e larga escala. O objetivo é não interromper a atividade e impactar diretamente no funcionamento daquela indústria, não importa o segmento que seja.

Entre as atribuições, estão:

⚙ Corrigir falhas de equipamentos;

⚙ Trocar peças quebradas ou que passaram da data de validade;

⚙ Orientar sobre uso correto do equipamento (a Field sempre pensa naquilo que se pode fazer a mais para o cliente);

⚙ Impedir que a produção pare parcial ou totalmente.

 

Todos os formatos de manutenção precisam de planejamento para serem bem executados e com a industrial não seria diferente. Só que a industrial, de forma específica, tem dois planejamentos necessários para a execução do processo.

Tudo isso, sem esquecer de garantir a segurança no uso dos equipamentos, dos técnicos envolvidos e das pessoas que atuam no local.

 

Como fazer a manutenção industrial?

Bom, começando pelo planejamento. Os dois formatos estão interligados. Um deve funcionar em parceria com o outro. Equipes diferentes podem fazer o planejamento, o que indica que a comunicação efetiva é fundamental.

Planejamento e Controle de Manutenção (PCM) – essa atividade pode ser muito bem feita pela equipe externa. Entre as atribuições estão a organização de tudo o que envolve a manutenção. Não basta ter o melhor técnico do mundo na área, se ele não for organizado a ponto de atender essa demanda. Sabe por quê? No PCM, todos os reparos são mapeados, com informações como quando parou e porquê, as peças trocadas e quando serão as próximas manutenções, trocas a reposições. O que é atribuído também ao PCM é a classificação das criticidades de cada máquina. Não, não é um palavrão. A criticidade faz parte da manutenção industrial e logo vamos te contar o que é e os diferentes níveis.

Planejamento e Controle de Produção (PCP) – esse aqui pode ser feito pela equipe interna da indústria. Quando falamos sobre a importância da comunicação, a justificativa está aqui. O gerenciamento dos recursos operacionais com foco na produção faz parte da rotina dos profissionais que fazem o PCP. No dia a dia, relatórios sobre as falhas nos processos podem ser feitos e relatados a equipe do PCM. Assim, as máquinas e equipamentos terão uma boa vida útil, com baixo risco de inatividade.

 

 

Tipos de manutenção industrial 

Manutenção de automação e instrumentação: envolve a parte técnica que permite o funcionamento de toda a linha de produção. Isso envolve placas de comando, controle e monitoramento.

Manutenção elétrica: quando o aparelho ou equipamento demanda de uma troca ou reparo na parte elétrica. Envolve painéis e e a prevenção de acidentes a partir da identificação de riscos de choques.

Manutenção mecânica: envolve soldagem, montagem, lubrificação das peças e dos equipamentos.

Classificações dos equipamentos: criticidade

Vamos ao palavrão do texto. A criticidade nada mais é que a mensuração do que deve ser solucionado primeiro em uma manutenção. Com isso, a prioridade de manutenção é muito mais efetiva naquilo que está impedindo os processos.

A classificação se dá, de acordo com o nível e estado do item a ser separado. Pode ser ele uma máquina, equipamento ou aparelho. E mais que ter essa base, indica, por meio de relatórios (sim, eles são importantes e devem ser feitos), o risco de um equipamento realmente parar e causar impacto direto na produção, não importando qual seja.

E definir as prioridades do que é preciso ser feito emergencialmente ou não é o ponto-chave da prevenção de danos e paradas repentinas na produção.

 

 

Protocolos 

Não é nada obrigatório, tá? Mas as indicações abaixo podem fazer parte de um protocolo da sua prestadora no atendimento de chamados de manutenção industrial.

Primeiro: agenda! Sim, uma agenda que coordenada as visitas que irão evitar possíveis danos. Ah, e tem que ser a digital, viu?

Dois: contato direto e reto com a equipe estratégica interna (revisar o tópico sobre PCM e PCP). Não custa nada dar um alô de vez em quando para saber se está tudo bem, se alguma máquina está com barulho ou desempenho abaixo do esperado. Surpreender o cliente é algo mais que necessário hoje em dia.

Três: organização! Provavelmente, a sua prestação não atenderá apenas uma única empresa/indústria. Então, como atender chamados emergenciais de diferentes locais? Ter todos os processos muito bem desenhados, aliados a ferramentas que funcionem de forma integrada garante o sucesso de toda a operação.

Quatro: mantenha sua equipe externa muito bem treinada e com conhecimentos técnicos de acordo com cada segmento.

 

Como a corretiva, a preventiva e a preditiva pode se encaixar na manutenção industrial

Você sabe qual a especificação e como se aplica cada uma delas?

Se a resposta foi não, a Field te dá de mão beijada: Manutenção preditiva, manutenção preventiva, Manutenção corretiva.

É possível uma única empresa demandar de todas elas? Sim! E mais a manutenção industrial? Também.

Como é feita a gestão disso tudo, Field? Já te escrevemos: foco na organização dos processos.

 

Quer atender mais esse ramo na sua prestadora?

O segredo é… não existe segredo! Aquela história de ser ter uma boa gestão que funcione e tenha uma alta produtividade a cada novo período é o que conta.

Agora, o que significa ter uma boa gestão para você? Cada prestadora tem necessidades individuais de acordo com vários aspectos: área de atuação, número de técnicos na rua, ferramentas e processos utilizados, organização e até o uso da tecnologia.

Para toda essa demanda, o uso de um sistema de gestão de equipes externas que mais que atender, entende as necessidades do setor, com ferramentas e processos já desenhados e bem estabelecidos. Entre eles, a localização do técnico que é muito estratégico para chamadas de emergência, agenda e ordem de serviço digital, relatório fotográfico e de produtividade.

Não que sua gestão será moleza, mas será mais efetiva e focada em processos que estão com impedimentos e fará com sua avaliação com o cliente ganhe sempre aquelas cinco estrelas sempre tão almejadas.

Tudo isso está ao seu alcance agora e aqui. A Field te mostra a partir de agora na prática como é. Basta AGENDA AGORA sua experiência e mudar a realidade da sua produtividade.

 

 

Equipe Field Control

O Field Control é uma poderosa ferramenta de gestão para empresas prestadoras de serviços. Para o gestor, organização e controle da empresa. Para os técnicos, praticidade e mais rendimento nas atividades do dia a dia.