Como fazer a precificação na prestação de serviços?

Como fazer a precificação na prestação de serviços?

Uma pergunta que pode dar muita dor de cabeça. O quanto cobrar por cada serviço prestado? Ter uma tabela talvez ajudaria? Quem sabe? Bom, para te ajudar a resolver esse problema, a Field aborda neste conteúdo a precificação na prestação de serviços. Afinal, você precisa receber sobre o trabalho feito, não é mesmo? Nada mais justo que essa relação de troca aconteça.

 

Precificação na prestação de serviços

Por que precificar? A empresa e/ou profissional autônomo precisa receber pelo trabalho feito, não é mesmo? Na verdade, essa é a base do trabalho. Sair de casa, realizar o que é proposto e ao fim do mês receber o salário.

Mas como estabelecer um preço pelos serviços prestados?

É uma conta que precisa ser feita. Nela, alguns itens precisam ser incluídos. Primeiro, pesquise qual o piso salarial dos profissionais do seu segmento. A maioria dos Sindicatos também estipula esse número por hora, o que facilita no momento da conta. Claro que o gestor ou contratante não precisa se basear 100% no piso. O que significa que a prestadora pode pagar mais. Principalmente, se o técnico for aquele profissional diferenciado, com alta produtividade.

Inclua na precificação os detalhes:

  • Hora do técnico;
  • Peças que serão utilizadas;
  • Combustível do trajeto;
  • Impostos;
  • Taxas e despesas administrativas (como emissão de nota fiscal);
  • Por último (e um dos principais): o percentual de lucro.

Colocando na ponta do lápis, insira tudo o que irá gastar para o atendimento. E mais ainda, quanto de tudo isso irá para a receita da empresa.

Se a prestadora oferece diversos serviços, faça a mesma conta para cada um deles.

Acima de tudo, não esqueça do estoque. Tenha uma tabela para o uso e reposição das peças.

O que também não pode ficar de fora é toda experiência e qualidade que são oferecidas no atendimento.

 

Serviços por contratos

Quando se tem um contrato, a precificação fica mais fácil de ser calculada. Como assim, Field?

Te explicamos.

Ao entender a necessidade recorrente de um cliente, você saberá melhor quanto irá gastar por mês. Para isso, faça um plano que atenda realmente tudo o que esse cliente precisa.

Inclua as manutenção e os tipos dela. Quantas preventivas serão feitas, a partir das máquinas e frequência de uso durante o mês? A manutenção corretiva fará parte?

Essa empresa/pessoa física terá acesso ao estoque? A peça utilizada será cobrada a parte? E quanto a garantia dessa peça?

Tudo isso deve estar bem calculado no valor da mensalidade. Porém, não esqueça de citar nas cláusulas. Deixar tudo bem pontuado garante uma segurança para ambos os lados. E ainda demonstra preocupação na transparência dessa relação comercial.

 

Serviços avulsos

Alguns serviços realmente são avulsos. A instalação de um ar-condicionado é um deles. Desentupir canos. Estabelecer uma rede de internet. Essas atividades, por mais que precise de manutenção, têm muitas chamadas. Ou seja, já deixe estipulado um preço para cada uma delas.

No entanto, faça uma personalização. Converse e questione qual é o aparelho, onde será instalado (checagem sobre estrutura), se há necessidade de peças adicionais.

Aparelho novo ou de segunda mão? Na segunda opção, entenda se está adequado ao uso ou se alguma demanda precisa ser feita. Tudo isso conta.

Uma estratégia que muitas prestadoras usam é avaliar o serviço antes de dar o orçamento. Assim, a precificação é mais assertiva.

 

Fazer um orçamento auxilia na precificação. Foto: Adobe Stock

Fazer um orçamento auxilia na precificação. Foto: Adobe Stock

É trabalhador autônomo? Tem orientação para você também

Tenha uma tabela. Não importa o segmento que atue. Estabeleça sempre um preço cada tipo de instalação e reparo. Caso o trabalho tenha algum imprevisto e precise de mais horas ou até peças, sinalize ao cliente antes de executá-lo, ok? Ele precisa estar ciente e de acordo com um possível ajuste, que na maioria dos casos é maior que o acordado inicialmente.

Explique em linguagem simples o que acontece. Lembre-se que o profissional e especialista é você. Estabelecer uma base de confiança gera fidelidade. Isso pode te trazer muitos outros clientes.

Na atuação como autônomo, a nota fiscal também é emitida. Existem alguns regimes de atuação. A MEI é uma delas. Se quiser orientação a respeito, te indicamos melhor aqui:  Prestador de serviços MEI: como atuar dentro da lei?

Como receber o pagamento?

Mais que precificar o serviço oferecido, estabeleça também um padrão de cobrança. Ou seja, como o cliente irá efetuar o pagamento? Boleto, depósito em conta, débito automático são algumas opções.

Para as empresas com contratos frequentes, o boleto é uma boa alternativa. Consulte com seu banco as taxas e não deixe de avaliar os juros em caso de não pagamento no dia do vencimento.

Já para os autônomos, que tal as máquinas de cartão de crédito? No agendamento, já sinalize que o pagamento será efetuado no local, após a execução do trabalho. Existem muitas opções no mercado. Algumas delas não cobram taxas, o que realmente facilita a adesão. Por serem de formato leve, cabem até no bolso.

E não esqueça de separar sua conta pessoa da jurídica, hein. Só assim, você saberá o quanto está faturando, quais são as despesas, custo do seu serviço para inserir no preço total. Outro fator positivo é que auxilia a estabelecer metas. Por exemplo, ter um lucro 10% maior no ano seguinte.

Por isso, não deixe passar a leitura: Fluxo de Caixa para Prestadores de Serviço.

 

Usa ferramentas de gestão e tecnologia? Coloque na conta!

Se você usa ferramentas e processos tecnológicos que facilitem o trabalho, inclua-os também. É um investimento feito para que o serviço seja executado da forma mais excelente possível.

Uma sugestão é o sistema de gestão de equipes externas. Com ele, o gestor sabe a localização do técnico em tempo real. E partir daí, envio o mais próximo da equipe daquela chamada de emergência feita de última hora.

E não para por aí. Ordem de serviço passa a ser online. Sem perda, sem rasura, com entendimento do que é realmente para ser feito.

A cada atividade executada, o técnico preenche um check-list. E ainda insere fotos do antes e depois do trabalho. Nada melhor do que provar que realmente foi resolvido o problema. Dessa forma, a qualquer questionamento, tudo está documentado.

O resultado dessa tecnologia é uma produtividade que aumenta sempre. Para entender como é o uso na prática, agende uma demonstração clicando AQUI. O período de testes é totalmente grátis, tanto que nem pedimos seu cartão no cadastro.

 

Então, é isso, caros leitor e leitora. Esperamos que esse conteúdo sobre precificação tenha proporcionado mais conhecimento na sua gestão.

Para conhecer mais sobre o que a Field Control pode fazer pela sua prestadora, acesse nosso site: www.fieldcontrol.com.br.

 

Equipe Field Control

O Field Control é uma poderosa ferramenta de gestão para empresas prestadoras de serviços. Para o gestor, organização e controle da empresa. Para os técnicos, praticidade e mais rendimento nas atividades do dia a dia.

Utilizamos cookies para garantir a melhor experiência em nosso site. Se você continuar a utilizar esse site, entenderemos que você concorda com isso. Visite nossas Política de Privacidade