Planejamento estratégico: saiba como implementar

Planejamento estratégico: saiba como implementar

Empresas que fazem planejamento estratégico têm chances muito maiores de sobrevivência e crescimento no mercado. Planejar significa saber para qual direção ir, como ir e o que fazer quando chegar lá. Com o planejamento estratégico, a empresa prevê a análise de cenários, a definição de metas e a elaboração de planos de ação para alcançá-las. Assim, todas as partes têm impacto para os resultados da organização. Saiba mais sobre essa ferramenta de gestão que ajuda empresas a atingir objetivos e melhorar os resultados operacionais.

O que é planejamento estratégico?

O planejamento estratégico é uma ferramenta que ajuda a entender qual o melhor caminho a ser seguido por uma organização. Trata-se de um processo sistêmico para auxiliar a instituição a atingir seus objetivos.

Para tanto, é necessário analisar o cenário. Isso permite enxergar os obstáculos e as oportunidades de negócio ao longo do caminho. Então, a(s) equipe(s) estipula(m) metas e ações para atravessar a rota em direção ao sucesso.

Quais são as etapas do planejamento estratégico?

Há muitas maneiras de se realizar um planejamento estratégico. Para simplificar o raciocínio, dividimos o método em cinco etapas. São elas:

1. Diagnóstico

Este momento inicial também é conhecido como análise SWOT, sigla em inglês para Forças, Fraquezas, Oportunidades e Ameaças. Consiste em “observar o terreno” no qual a equipe está pisando.

Primeiro, olha-se para o ambiente interno, procurando identificar quais são os pontos fortes e fracos da empresa. É basicamente um exercício de autoavaliação ou autocrítica.

Em seguida, pensa-se no ambiente externo. Quais são as ameaças que o empreendimento pode enfrentar? Concorrência? Crise econômica? Será que o mercado oferece oportunidades de avanço? Um nicho ainda pouco explorado, talvez?

O diagnóstico deve ser um trabalho coletivo. Todos os colaboradores podem participar e opinar na reunião.

2. Filosofia e diretrizes

Após entender o contexto no qual a empresa está inserida, é hora de reforçar a identidade dela. Isso se dá por meio de uma filosofia institucional, geralmente traduzida em missão, e valores.

A missão determina a razão da existência de uma organização, ou melhor, seu propósito no mundo. Aqui, cabe refletir sobre os benefícios que seu produto ou serviço trará à sociedade.

A visão significa os objetivos de longo prazo. Como a marca estará daqui a cinco anos?

Já os valores dizem respeito aos princípios que guiarão as decisões estratégicas. Ética, qualidade e sustentabilidade são alguns dos valores possíveis.

Outro ponto importante é construir o Mapa Estratégico com os Objetivos Estratégicos. Uma das metodologias que pode ajudar nessa etapa do planejamento estratégico é o BSC (Balanced ScoreCard).

3.Metas e indicadores

A próxima etapa do planejamento estratégico é a definição de metas para atingir os objetivos estratégicos. Cada departamento terá suas próprias. Por exemplo, enquanto o Marketing se preocupa em elevar a presença nas redes sociais, o Financeiro pode pensar em cortar custos.

Metas devem ser mensuráveis. Para tanto, definem-se indicadores que permitirão o monitoramento do trabalho. No caso do Marketing, o número de interações no Facebook e no Instagram pode apontar se a marca, de fato, está mais presente na web (ou seja, se a meta foi cumprida).

Por fim, as metas e seus respectivos indicadores são distribuídos aos colaboradores. Todos precisam ter consciência de sua relevância individual na busca por resultados. Isso aumenta o engajamento.

 

4.Projetos e processos

Depois de saber o que deve ser feito, resta explicar como será viabilizado. Em outras palavras, as metas demandam um plano de ação.

A fase dos projetos e processos define, justamente, essas questões. Os colegas ficam responsáveis por realizar uma tarefa dentro de um período específico, com vistas a atingir a meta – lembrando que essa meta está vinculada a um objetivo estratégico maior dentro da organização.

É muito importante criar planos detalhados, com a descrição das atividades, as pessoas encarregadas e os prazos de entrega. Essa medida ajuda a monitorar a execução do planejamento estratégico.

5. Controle e gestão

Reuniões semanais de equipe são a chance para alinhar os processos dentro de cada departamento. Os colaboradores podem avaliar os números anteriores, verificar eventuais falhas e projetar as prioridades para os dias seguintes.

Os gestores, por sua vez, devem se reunir mensalmente para acompanhar os resultados da empresa como um todo. Esse panorama indica se o planejamento estratégico ainda se mostra eficiente.

Nada impede que a organização realize novas análises SWOT. Inclusive, é esperado que os objetivos estratégicos, as metas e os planos de ação sejam revistos e atualizados, de tempos em tempos. Afinal, o cenário muda, sendo necessário adaptar-se às novas demandas do mercado.

;

Principais benefícios do planejamento estratégico 

Agora que já detalhamos as cinco etapas do planejamento estratégico, vamos aos benefícios que essa visão do todo e de todos traz aos negócios. Por que investir tanto tempo em reuniões e análises, mesmo? Bem, a lista inclui inúmeras vantagens, dentre elas:

Organização

Ao colocar seus objetivos no papel, a instituição tem uma visão mais clara do que fazer para chegar a um resultado. Assim, o sucesso deixa de ser um sonho distante e se transforma em algo tangível.

Segurança

Um planejamento definido revela o caminho que a equipe deve seguir. Tendo esse roteiro como base, os gestores podem tomar decisões mais rápidas e assertivas, já que compreendem onde estão e para onde devem ir.

Racionalidade

As metas e os indicadores resultam em dados mensuráveis. Com essas informações, fica fácil entender quais estratégias vêm dando certo e quais ainda exigem ajustes. Dessa forma, a gestão deixa de se basear apenas no feeling para tornar-se mais racional, pois está respaldada em fatos.

Economia

O planejamento estratégico reduz o desperdício de recursos. Como todo mundo entende o que deve ser feito, os erros operacionais caem. Logo, há menos retrabalho e, consequentemente, menos gasto de tempo e materiais.

Produtividade

Vale ressaltar que o tempo ganho é investido em trabalho de qualidade. Isso porque equipes organizadas têm mais foco para cumprir suas tarefas e entregar um serviço bem-feito.

Prevenção de problemas

Muitos problemas de relacionamento entre colegas ocorrem devido a falhas na comunicação interna. Porém, quando existe um plano de ação bem definido, cada um conhece sua função dentro do sistema. Essa é a chave para evitar mal-entendidos.

Viu por que a visão sistêmica funciona tão bem para os negócios? Então aproveite para conhecer o Scopi. Você vai poder monitorar atividades e acompanhar resultados com precisão de maneira automatizada e integrada, garantindo que a equipe inteira esteja alinhada na busca dos objetivos organizacionais. É possível criar dashboards com os indicadores e metas dos times (grupos). Também é possível lançar ações corretivas, com prazo e responsável e o Scopi avisa por e-mail quando a ação está vencendo ou está atrasada. Fica muito mais fácil monitorar e tomar decisões.

Saiba mais sobre o Scopi no nosso site. Obrigado pela leitura e até a próxima!

Equipe Field Control

O Field Control é uma poderosa ferramenta de gestão para empresas prestadoras de serviços. Para o gestor, organização e controle da empresa. Para os técnicos, praticidade e mais rendimento nas atividades do dia a dia.

Utilizamos cookies para garantir a melhor experiência em nosso site. Se você continuar a utilizar esse site, entenderemos que você concorda com isso. Visite nossas Política de Privacidade