Curva ABC: qual a função na organização do estoque?

Curva ABC: qual a função na organização do estoque?

Já que a Field ama uma boa gestão, por que o seu estoque não seria agraciado também? O tema de hoje é a curva ABC e qual o impacto direto no estoque, a partir desse método de classificação.

Tipo assim, se você está se perguntando o que esse assunto tem a ver com a prestação de serviços, segura lá que já vai entender.

Por mais que a sua empresa atue com instalação e reparos de equipamentos, é importante sempre ter um estoque, principalmente das peças mais utilizadas para a execução dos serviços.

Caso esteja ainda estudando se vale a pena ou não, comece antes por esse conteúdo: Estoque de peças: vale a pena?.

E depois volte aqui para retomar sobre a curva ABC, combinado? Os dois assuntos têm tudo a ver um com o outro.

Agora, se você tem um estoque e precisa organizar de uma forma eficiente, siga firme e forte nas próximas linhas.

 

O que é a curva ABC?

A curva ABC é igual a Field, resolve boa parte dos problemas de gestão, porém é focada 100% no estoque.

Se você nunca ouviu falar, é o tipo de ferramenta mais utilizada no mundo quando se trata de controle de estoque.

O equilíbrio entre manter a necessidade do estoque ativo com o que realmente é necessário é um dos principais objetivos.

Ou seja, sinaliza ter sempre o que realmente tem mais saída e que pode sofrer uma falta inesperada de fabricação no mercado.

A otimização de gastos e desperdícios também entra aqui.

Você só estoca o que realmente têm saída e evita que algo fique encalhado desperdiçando dinheiro e ocupando espaço.

A curva ABC, por meio das classificações que vamos entender logo mais, direciona em quais fatores o investimento deve ser destinado.

Sem contar na indicação daquilo que pode ficar para depois, sacou?

É uma baita ajuda para saber realmente o que mais sai, em quais períodos, assim, o seu atendimento estará sempre a todo vapor, sem depender de peças de terceiros.

O responsável foca no que é necessário daquele determinado período, mas também em uma maior escala.

O seu caixa agradece e os clientes também ao serem atendidos sempre com a peça desejada.

 

Classificações A, B e C

Ela se chama ABC porque classifica de acordo com a necessidade de ter aquele determinado item/produto/peça ou equipamento no estoque.

Cada letra da classificação indica uma prioridade de maior para menor.

Uma informação que não pode passar é colocar na ponta do lápis o preço de cada peça/item que irá compor o seu estoque.

As que influenciam em porcentagem maior no seu faturamento devem vir em primeiro lugar.

E para não deixar passar nada, ter um modelo de controle pode salvar e muito sua gestão e até sua produtividade.

A Field não só te explica mais, como te oferece um modelo pronto.

E só baixar no link: modelo de planilha de controle de estoque.

 

Exemplos na prestação de serviços

Um exemplo quando se trata de prestação de serviços e curva ABC é responder as seguintes questões:

Para uma empresa que atua com climatização, a curva ABC auxilia a classificar a quantidade de filtros de ar, de acordo com cada modelo atendido pela equipe.

Já para as de telecom, indica qual tipo de placas são necessárias e a frequência de troca para sempre ter o número ideal para não deixar o cliente na mão. Ou até mesmo cabos de telefonia.

Em empresas de elevadores, os botões das cabines, cabos e outros que mantém o bom funcionamento.

Nas encanadoras, os canos que mais têm saída e também os menos utilizados.

Com esses dados, o gestor ou outro profissional que atue com o estoque pode ter uma boa métrica do que deve ser priorizado, em maior quantidade e o que pode ficar em segundo plano.

 

Classificação A

Aqui entra tudo o que é fundamental para a atividade não parar.

Isso inclui os produtos utilizados na instalação e reparos utilizados em alta escala.

Sem essas peças ou até equipamentos classificados como A, é impossível o trabalho ser realizado.

Por isso, eles entram como alta prioridade e necessitam daquele investimento garantido do fluxo de caixa.

Muitas vezes, sem esse estoque classificado como A, a empresa pode até parar.

O que se encaixa na classificação A pode ser até adquirido em grande quantidade, dependendo da escala de saída.

No atacado, o preço da unidade pode sair menor e a prestadora garante aquele bom desconto.

 

Classificação B

Na A é a classificação de alta prioridade, aqui na B, as peças de média prioridade entram.

Você pode inserir na sua planilha como classificação B tudo aquilo que não é emergencial.

Quando se fala de manutenção corretiva, com necessidade de troca de peças para retomar o funcionamento de determinado equipamento, os itens não entram aqui, mas sim no A.

Na B, aquilo que pode ser adquirido também de fácil acesso com fornecedores pode constar, caso seja viável para o seu negócio ter em próprio estoque.

 

Classificação C

Sabe aquele a mais que a equipe faz pelo cliente?

Os serviços que não são essenciais, mas que podem trazer uma boa grana para a empresa podem entrar aqui.

Tudo aquilo que não é essencial para a atuação dos técnicos que atuam em campo, seja nas manutenções (não importam quais sejam) ou na implementação de novos projetos e sistemas que envolvem a engenharia de manutenção, cabe aqui na C.

Traduzindo, os itens que não tem tanto impacto no seu caixa, quando o termo é receita.

 

Quer melhorar o seu fluxo de caixa, focando em investimento que realmente te tragam retorno?

A Field te orienta:

5 dicas para redução de custos nas empresas;

Uso de peças remanufaturadas na prestação de serviços;

Práticas para reduzir custos na empresa com sua equipe externa

 

Nos vemos por lá! Até mais!

 

Equipe Field Control

O Field Control é uma poderosa ferramenta de gestão para empresas prestadoras de serviços. Para o gestor, organização e controle da empresa. Para os técnicos, praticidade e mais rendimento nas atividades do dia a dia.

Utilizamos cookies para garantir a melhor experiência em nosso site. Se você continuar a utilizar esse site, entenderemos que você concorda com isso. Visite nossas Política de Privacidade